Conjuntivite Alérgica


A conjuntivite alérgica geralmente ocorre quando os olhos de uma pessoa entram em contato com um alérgeno, uma substância que causa a reação exagerada do sistema imunológico no corpo. Um alérgeno é uma substância, usualmente inofensiva, capaz de desencadear uma resposta do sistema imunológico e resulta em uma reação alérgica. Por exemplo, se você tem alergia ao ácaro, seu sistema imunológico identifica o ácaro como invasor ou alérgeno. O sistema imunológico responde liberando substâncias químicas que normalmente causam sintomas no nariz, garganta, olhos, ouvidos, pele.

 

Os alérgenos comuns incluem:

– Proteínas e pelos de animais

– Poeira

– Poluição

– Medicamentos (como antibióticos ou substâncias que você aplica na pele)

– Alimentos (como ovo, amendoim, leite, nozes, soja, peixe, carne animal e trigo)

– Esporos de fungos

– Insetos (picadas) e ácaros

– Látex

– Pólen

 

 

Existem muitas causas potenciais de conjuntivite, incluindo infecções bacterianas ou virais e alergias. Todos os tipos de conjuntivite provocam vermelhidão nos olhos, embora nem sempre olhos vermelhos sejam causados por conjuntivite. Como o tratamento difere, é necessário obter o diagnóstico correto para que seja instituído o tratamento adequado.

Os seus sintomas

Os sintomas mais presentes nas conjuntivites são olhos vermelhos, coceira e ardências, inchaço, secreção mucoide, sensação de corpo estranho entre outros.

 

 

Conjuntivite alérgica aguda – A conjuntivite alérgica aguda é uma reação de início repentino que ocorre quando uma pessoa entra em contato com um alérgeno conhecido, como pelos de animais. Os sintomas incluem episódios intensos de coceira, vermelhidão, lacrimejamento e inchaço da pálpebra. Os sintomas podem ser graves, embora, na maioria das vezes, se resolvam dentro de 24 horas após a remoção do alérgeno.

Conjuntivite alérgica sazonal – A conjuntivite alérgica sazonal é uma forma de alergia ocular que geralmente causa sintomas mais leves (mas mais persistentes) durante uma temporada específica de pólen. Esse tipo de conjuntivite é bem menos comum no Brasil do que em países da Europa e América do Norte. Os alérgenos sazonais incluem pólen de árvores na primavera, pólen de grama no verão e pólen de ervas daninhas no final do verão e outono, embora exista alguma variação com base na localização geográfica.

Conjuntivite alérgica perene – A conjuntivite alérgica perene é uma conjuntivite alérgica leve, crônica e relacionada a alérgenos ambientais (geralmente em ambientes fechados) durante todo o ano, como ácaros, poeira, poluição, animais e/ou fungos.

 

 

 

Cuidados básicos

Cuidados básicos no tratamento da conjuntivite alérgica:

– Evite esfregar os olhos! Se a coceira for incômoda, é recomendado usar, por exemplo, lágrimas artificiais, compressas frias e até colírios anti-inflamatórios e/ou colírios anti-histamínicos.

– Minimize a exposição ao alérgeno; pacientes com conjuntivite alérgica crônica devem considerar consultar um especialista em alergia para determinar quais alérgenos são responsáveis ​​por seus sintomas (por exemplo, ácaros, fungos etc).

Medicamentos:

– Pessoas com sintomas de início súbito podem usar colírio anti-histamínico.

– Pessoas com sintomas sazonais ou durante o ano todo são geralmente tratadas com uma combinação de colírio anti-histamínico e antialérgicos por via oral.

– Um anti-histamínico oral pode ser mais útil quando tomado preventivamente (antes que os sintomas se desenvolvam). No entanto, os anti-histamínicos também podem ser usados ​​para tratar os sintomas após o início.

– Colírios esteroides (corticoides) – são eficazes no alívio rápido dos sintomas, mas estão associados a uma grande quantidade de efeitos colaterais, potencialmente perigosos, tais como: formação de catarata, glaucoma e infecções bacterianas e virais da córnea e conjuntiva. Eles devem ser usados ​​apenas a curto prazo, somente sob indicação e supervisão médica e nunca na presença de infecções, como por herpes.

O manejo adequado da conjuntivite alérgica precisa de um diagnóstico preciso. Por se tratar de uma condição com sintomas muito comuns e pouco específicos, o seu médico deve diferenciar de outras causas e iniciar o mais breve possível o tratamento correto. Muito provavelmente a consulta a um especialista em alergia (Alergologista) é bem indicada e faz grande diferença para o sucesso do tratamento.

 

Fonte: American College of Allergy, Asthma & Immunology (ACAAI) (acaai.org/)

 






A Genom é destaque no mercado farmacêutico no segmento de prescrição médica, oferecendo produtos de alta qualidade na oftalmologia, Ginecologia, Ortopedia, SNC e Dermatologia



Avenida Magalhães de Castro, 4.800
16º andar - Conjuntos 161 e 162
Edifício Continental Tower
05676-120 / São Paulo-SP

Siga-nos nas redes


Instagram

This error message is only visible to WordPress admins

Error: No posts found.

Make sure this account has posts available on instagram.com.



Copyright © 2020 União Química. Todos os direitos reservados.

x